Pensamentos Imperfeitos

Outubro 27 2008

Novo amanhecer, novo acordar, novo dia e sabem que mais ?

 

Vou Rir, dar Gargalhadas, ninguém nem nada me irá chatear . . .

 

Este ano foi um ano de mudança, tantas coisas novas, tantos sentimentos por lidar, acreditam também que encontrei pessoas maravilhosas?

 

Pessoas que nunca pensei vir a conhecer, aquelas que vos conseguem entender naqueles momentos longínquos, pessoas que têm as mesma ideias, opiniões e dúvidas que tu, pessoas estas muito especiais porque ajudaram-me a olhar para cima, ajudaram-me a perceber que a minha companhia, o meu ser faz falta aos outros, que não sou assim tão ruim . . Gosto, gosto tanto de falar ao telefone ! ^^ . Hehe . Gosto mesmo de falar, falar com todos, sorrir e mostrar que estou lá . Deixei de me auto-anular . . Desde tudo, novos professores, nova turma, novas matérias, novas situações, nova maneira de enfrentar e lidar com as situações, tudo tão novo, tudo tão recente . E aqui dentro? É verdade que esqueci, perdi parte da memória naquele intervalo de tempo, que passado é difícil recordar mas nunca estive assim comigo . Se um dia pudesse vos mostrar !

 

A todos, até aqueles que aqui passam, um muito obrigado, porque ajudaram-me e ajudam-me a construir, a renovar . .

 

Coisas más aconteceram em resultado de tanta transformação, aquela amizade epah tão especial sabem? Aquela que será única e imutável? Perdeu o seu brilho, ambas mudámos, passámos por tanta coisas juntas e a ela agradeço tudo, todos os momentos, todos os risos, choros, tudo o que me ensinou e toda a sua força naqueles momentos, nunca ter desistido de mim, ter-me sempre acompanhado enquanto para mim o mundo tornara-se insuportável!

 

Oh aqui também deixo com grande carinho, um grande obrigado para a minha pequenina Juh, aquela pessoa que de um momento para o outro conseguiu rechear o meu coração com a sua alegria, com o seu entendimento, com a sua maneira de ser, com a sua paciência e a sua confiança . Gosto, gosto mesmo muito ! :')

 

À minha amiga Patrícia, aquela companhia para passar uma tarde inteira a falar sem pausas, a companhia para a explicação de matemática, para ir à feira comprar bugigangas ! =p . Tem-se mostrado uma excelente pessoa .

 

A duas pessoas extraordinárias que me ajudaram a elevar aos poucos, mostraram-me devagar o caminho para a luz do dia, que têm uma grande paciência para mim, para todas as minhas quedas . Nunca, mas nunca me irei esquecer, porque um dia cheguei àquela sala e pensei para mim : "Tem cuidado com o que podes dizer, sorri mostra a felicidade que há em ti !" . Deram-me a alcunha de amendoinha ! Adoro-vos simplesmente !

 

À minha grande família que me apoia, a eles que para mim bastam, são os melhores . O quanto gosto !

 

À Rita, à Raquel, ao Bernardo, ao Miguel, ao Cokas, à Maria Inês, à Inês de Brito, à Telma, . . . A todos os que me fazem rir, rir a pacotes . . . =D

 

"Não receies avançar devagar, receia apenas ficar parado."

 

publicado por Bolha às 07:18

Outubro 25 2008

Habituei-me a estes dias, dias estes em que canso-me, não de fazer muitas coisas como seria normal, simplesmente não tenho forças para fazer qualquer coisa que seja.

 

Cansada deste dia, cansada é como me sinto, sem motivação, sem aquele brilho que gostava que estivesse presente. Mais um dia passou e sinto que desperdicei-o . . . A minha mente apagou, vaguei por casa, corri um pouco ao final da tarde para espairecer um pouco mas . . . Ufa, sinto-me sem forças para o dia de amanhã, para uma nova semana.

 

Apetece meter-me na minha antiga caixinha onde parava no tempo, onde o mundo era simples, só meu, onde apenas as pequenas lágrimas me consolavam. . .

 

Quero tanto força, força para continuar, se ao menos pudesse riscar estes dias . . . Mas aprendi, aprendi que parar não dá, que os dias (por muito que nos pareçam), não são iguais, são únicos, que nem todos eles podem ser bons, perfeitos . . .

 

É difícil levantar-me, é difícil esquecer a palavra "desistir", a expressão "Para quê mais?", mas não posso, mesmo assim, que o difícil me deixe para trás . . . É inevitável continuar.

 

Só me apetece dormir, meter-me debaixo dos lençóis e de lá não sair. Que todo este sentimento que me invade desapareça, vá para bem longe, se afaste de mim . . .

 

Os testes vão começar! Porra. =S

publicado por Bolha às 22:01

Outubro 24 2008

O quanto gosto de escrever, o quanto gosto de expressar aqui estas palavras tolas, sem sentido... O quanto gosto que me digam que gostaram do que leram, do que ouviram. Acho que não escrevo bem, talvez consiga tocar nas pessoas porque escrevo acerca do meu profundo, sobre coisas que a maior parte nem se consegue debruçar desta maneira... Gosto de expressar o que sinto, gosto de tocar no profundo do meu ser e, que toque no profundo de quem leia, de quem escute...

 

São os melhores momentos estes, quando brinco com as palavras, quando arrumo o que está cá dentro. Quando, resumidamente, fico a sós comigo mesma, quando me oiço.

 

Estranha? Não, acho que não, é a adolescência, altura em que pensamos para além do óbvio. Passagem, transição, transformação... Palavras que assustam não é? Mas não entremos em pânico com tamanha mudança, aqui aprenderemos, veremos a verdade nua e crua da realidade é verdade mas, abriremos os nossos horizontes. Provável que te sintas só, por vezes, mas nunca te esqueças que tens sempre alguém a quem te agarrar, uma mão amiga... Não te esqueças também de ti próprio, não o que mostras aos outros, falo de ti, sim aí mesmo... Percebes onde quero chegar?

 

Aí está o teu magnífico ser, aí habita o que te faz feliz....

 

Sorri, sorri porque sorrir faz bem ! =)

 

 

Insignificante neste planeta?

publicado por Bolha às 14:36
Tags:

Outubro 23 2008

O que nos dá prazer de viver é aproveitar todos os momentos, todas as pequenas coisas, construirmos os nossos próprios aquários de riquezas. Conseguirmos fruir o momento, o presente.


"Descobri, finalmente, que a única razão para se estar vivo é gostar de viver."

 

 

Pois é, o ser humano tem a capacidade de pensar sobre si e sobre o que lhe rodeia, mas quando porventura este deixa de ter razões para continuar a viver, tudo se desmorona, tudo é confuso e torna-se um tédio para aquele que fica.


Náusea. Vontade de nada.
Existir por não morrer.

Fernando Pessoa, Poesias Inéditas, 1930-1935, Ática, 1978


Porque quero ser feliz neste mundo, quero aprender e ir apreendendo até ao fim. Quero que isto que digo se preserve dentro de mim.

 

 

 

Parabéns meu Pequenino mas Grande Irmão, obrigada a ti, obrigada pela forma como és, obrigada por estares aqui ! Gosto muito de ti, e Sorri, Sorri sempre porque és lindo, não podia ter desejado melhor ! :)

publicado por Bolha às 14:18

Um pequeno canto, sabes aquele sitio ? Como é que explico . . . A tua pequena bolha que te separa do mundo na qual pensas, reflectes, sais de ti . . . Voas ! Quando te sentes verdadeiramente livre.
Photobucket
mais sobre mim
Outubro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
21

26
28
29
30
31


comentários recentes
tenho muito orgulho em ti <3
Adoro ler o que escreves, vai custar um pouco não ...
Olá mais uma vez, não tenho vindo aqui à tua bolha...
nao acredito ;(fg nem acredito k vou deixar de aco...
http://asnossaspalavrasperdidas.blogs.sapo.pt/Visi...
Será um dia melhor de certeza. =)
Oláá :D Venho só informar-te do meu novo blog : ht...
há vidas tristes.
Equilíbrio é fundamental para a nossa caminhada na...
Oláaa* Minha QuerIda Bolhinha* =)Ontem adormeci co...