Pensamentos Imperfeitos

Abril 30 2009


É mesmo assim. Tantas mas tantas vezes que o silêncio nos penetra de modo profundo. Esquecemos o mundo, esquecemos como se fala. Não queremos ouvir nada.


Desejamos Simplesmente Que o Mundo se Cale Para Conseguir Ouvir a Nossa Mente.


Quantas vezes é tanto o barulho que eu não me consigo concentrar em mim mesma? São ruídos de fundo que nos penetram os tímpanos, são revoltas exteriores, discussões, conversas fúteis que conseguiram de algum modo provocar em nós alguma sensação, são preocupações desnecessárias para o nosso rumo... São stresses mal medidos.


É aquele aperto não no coração, mais profundo ainda, onde dói e com força. Esse aperto por vezes, em mim, tende a durar dias e dias. Não sei a razão.

Disse à pouco tempo, "Talvez o meu problema seja pensar demais.".


Devido a uma vez ter perdido o rumo de tudo, tenho medo de perder este. Estou sempre tentando focalizar a essência da vida, que outros detalhes que nos "contagiam" não me façam perder o caminho.

Por vezes não consigo e deixo-me levar, mas tenho a plena noção e consciência de onde me meto e que a determinada altura tenho de sair.


"Respiro, páro e penso para saber o que é melhor."


É isso Inês, ainda não tenho confiança em mim, não me sei dar valor, aos poucos vai lá. Por muito que pareça contrário já me disseram que o facto de pensar sempre que os outros não gostam de mim, que sempre que dizem algo é para me mandar ao chão, e não acreditar quando dizem "Tens valor." não é por falta de confiança em mim mas sim, exactamente, nos outros. Acho que é um pouco dos dois.


Por vezes prefiro ficar em silêncio e pensando à minha maneira com medo que as minhas ideias sejam barbaridades nos ouvidos de outrens. Gosto de falar e pensar, gosto de expressar o meu modo de vida mas apenas com quem merece e com quem tenho a tal "confiança".

 

 

Fiquei em Silêncio Cerrado durante, talvez, demasiado tempo. Estragou-me, corroeu por dentro. Nada é irreversível, é isso que ponho em prática, nada está perdido mesmo nos últimos casos.

 

Há silêncios que não são bons outros até, na minha prespectiva, contrários, tendo a função de conservar o que de melhor achamos ter.



Há silêncios que perdi.

Muitos até. Não consigo guardar para mim.

O que é que acho?

Foi a melhor coisa que fiz até hoje, foi o melhor que perdi.

Dizem que mudei. Es verdad. E ainda bem.


Agora pensem comigo, recuem quem me conheceu antes...

Uma margem de um simples ano !

Foi com esforço, foi com luta, foi cair e levantar vezes e vezes sem conta, foi não desistir. Foi pensar sempre que haveria algo de bom ao fundo do túnel.

 

Esperança?


Sim.

publicado por Bolha às 00:13

Abril 26 2009


A casa mergulhada num silêncio profundo.

Eu agarrada a números, raízes, limites, probabilidades e trigonometria.

Tal e qual como a casa se fecha nela mesma, fecho-me no meu raciocínio, na minha mente e deixo-me estar.

Ouço-me, sinto tudo a deslocar-se de um lado para o outro. "Para este problema vou precisar disto e daquilo..." Sinto como se fossem ratinhos da biblioteca a procurarem grandes estantes à procura da solução para dar o próximo passo.

Percorrem milhões e milhões de quilómetros em segundos.

Fascinante.


Por momentos distraio-me e saiu desta confusão mental. Ouço o vazio da minha casa, sinto a tranquilidade dentro dela. E tenho a necessidade de fazê-la desaparecer.


A casa é grande, percorro-a de um lado ao outro. Meto os phones nos ouvidos e danço, faço com que ela deixe de estar na penumbra e fique ao meu ritmo.


 

1 . . . 2 . . . 3 . . . Danço loucamente .


Por vezes a loucura chega, percorre-nos pelas veias, sentimos a adrenalina.

Sentimo-nos vivos.

 

A loucura por vezes vem e ainda bem !

 

(Dizem que os números são perigosos para a nossa sanidade mental. Será? Enlouqueci? Não!)

 




Isto foi escrito ontem.

Sabem? Tenho oscilações bruscas de humor.

Estava eufórica antes da suposta "noite". O jantar foi óptimo, ri-me tanto mas tanto, mas chegou um momento, na baixa, do género: "Tirem-me daqui rápido!!"

A instabilidade de humor é tanta que cheguei a casa e a única coisa que consegui fazer foi deitar a minha cabeça na almofada e chorar.

Não me perguntem o porquê.

Não sei.

 

(odeio, odeio com todas as letras todos estes momentos)

 

P.s: O tempo é escasso, as horas de cansaço chegam, mil e uma coisas para fazer.

Daí eu pedir desculpa por não conseguir ir comentar os vossos blogs ! =S

Assim que consiga vou.


Abril 23 2009

Passas o dia . . .

A Sorrir.

A te expressar.

A tornar cada momento melhor.

A estudar e adquirires conhecimentos.

A posicionares-te criticamente acerca de tudo o que te dizem.


 

Passo os dias a pensar, a posicionar-me no lugar dos outros. Passo os dias a ultrapassar, momento após momento. Passo os dias a mostrar a todas as pessoas de quem gosto o carinho que tenho por elas.

Tenho dias muito bons, outros assim-assim.



Hoje estava a andar no meio da rua, o calor apertava com força (odeio ter calor !), e pensava na preguiça que às vezes me dá para viver o próximo minuto. Por vezes assombra-me isto, como se o cansaço fosse muito, como se a motivação não fosse muito grande.


Hoje estava a andar e pensava nas grandes amizades que fiz este ano e o quanto elas me fazem feliz.


Agora penso no quanto sou capaz.. Será que sim? Será que conseguirei ultrapassar? Quero tanto, mas tanto ir para psicologia. Eu tenho a plena noção de como está o mercado de trabalho, sei que é meter-me num grande buraco mas . . . Sabem quando o coração não fala apenas alto, mas sim muito alto? Quando tenho uma grande necessidade de ajudar as pessoas, que no fim de uma consulta, as pessoas se encontrem mais confiantes e seguras de si para enfrentar as "piranhas" fora daquele espaço? Quando "pegamos" numa pessoa e conseguimos transformar o seu mundo para melhor, quando as lágrimas são transformadas em sorrisos, quando desmistificamos as suas angústias libertando-a de um grande peso dentro de si? Quero isto e muito mais.


Sei que este "gosto e deslumbramento" apareceu de repente, espontâneo, mas diz-me muito, e por muito que as pessoas não entendam, o que é importante é o que está dentro de cada um de nós. É o que a nossa consciência nos diz. Para muitas pessoas o facto de ter grandes notas e isto dar-me possibilidade para entrar noutros cursos "melhores", e no fim escolher psicologia, é, no seu entender, um desperdício.

A meu ver não. Considero um enriquecimento que vou fazer para mim mesma. É um obstáculo que pode ser muito difícil de ultrapassar mas, se não houvesse estes entraves como é que a vida teria piada? É lutar pelo que queremos, é ver o produto do nosso esforço crescer ao longo do tempo.


 

Cada um constrói o mundo que quer, cada um escolhe os seus caminhos, cada um é LIVRE. Sabem o que é isso? Gozem-na da melhor maneira. Sim a liberdade.


Respiro.

Fecho os olhos.

Tranquila.


 

Consigo aprendi e aprendo imenso. Gosta de mim não é? Eu também. ^^

Deu-me o chão, deu-me a esperança, fez com que eu criasse raízes no meu mundinho (são lindas as flores ! :) ), deu-me muito de si apesar daquela distância esquisita de que tanto lhe falo. Não me deixou ir, ficou e ainda lá está, a meu lado. Obrigada. Mais uma consulta hoje, depois de um ano continua a aturar-me. Impressionante!

Hoje sorriu assim, desta maneira, porque soube ensinar-me, hoje sou determinada e descubro coisas novas todos os dias. Hoje tenho objectivos e coisas que gostaria de realizar.

Hoje o meu mundo está tão mas tão diferente.

 

Cresci à grande.


Abril 21 2009

 

Às vezes tens de te afastar.

Por vezes sentes que é só aquela gotinha que te deixa em baixo.

Por vezes sentes-te no topo e depois... Há um abanão e tu contactas com a fragilidade.

 

Aquela fragilidade de que tens medo, não sentes o chão, não sabes o que fazer.

Choras sem razão.

Por vezes é mesmo: "Afasta-te, não me magoes."

 

O melhor que eu fiz? Foi apoiar-me em ti, talvez tirar tudo de cima com esperança que desaparecesse. Obrigada, não há palavras. No fim já me ria, no fim deixaste-me bem.

Ideias parvas? Não. Prometer? Prometo.

Nês.

Estou cansada, estou mesmo cansada.

Hoje recebem isto . . .

 

 

(um destes dias deixo os livros de lado, os trabalhos, as funções, o "Felizmente há luar", deixo tudo e irei escrever. Escrever para fugir um pouco ! Agora? Não há o tempo, a escrita faz-me bem e tenho falta dela. É isso. é mesmo isso. O dia de ontem foi péssimo, o de hoje foi mais ou menos, o de amanhã será bem melhor ! )

 

 

Sorriam comigo ! Free ! ^^

publicado por Bolha às 20:24

Um pequeno canto, sabes aquele sitio ? Como é que explico . . . A tua pequena bolha que te separa do mundo na qual pensas, reflectes, sais de ti . . . Voas ! Quando te sentes verdadeiramente livre.
Photobucket
mais sobre mim
Abril 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9

16
18

20
22
24
25

27
28
29


comentários recentes
tenho muito orgulho em ti <3
Adoro ler o que escreves, vai custar um pouco não ...
Olá mais uma vez, não tenho vindo aqui à tua bolha...
nao acredito ;(fg nem acredito k vou deixar de aco...
http://asnossaspalavrasperdidas.blogs.sapo.pt/Visi...
Será um dia melhor de certeza. =)
Oláá :D Venho só informar-te do meu novo blog : ht...
há vidas tristes.
Equilíbrio é fundamental para a nossa caminhada na...
Oláaa* Minha QuerIda Bolhinha* =)Ontem adormeci co...